Uma alma que se eleva em consciência, eleva o mundo.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

PACTO

Pacto é sinônimo de ajuste, convenção ou contrato. A literatura espiritualista está cheia de relatos de pessoas que firmam acordos com a espiritualidade inferior para obter favores em troca de paga. Nos meus atendimentos espirituais o pacto constitui um dos mais complexos problemas espirituais tendo em vista de haver nesta convenção uma entrega consciente ou não dos fragmentos da alma. Estes ajustes primam pela informalidade, onde o pactuante, a mais das vezes, não sabe a extensão das obrigações que está assumindo. Assim, acredita que a paga do "ebô", oferenda ou preço quita o débito, porém, seu comportamento incauto pode gerar cobranças indeterminadas e garantidas pela imposição de um implante  o que faz com que o pactuante fique por tempo indeterminado preso astralmente as egregoras inferiores. Todavia, segundo orientação de meus guias amparadores, estes pactos podem ser feitos sem a consciência aparente do pactuante, ou seja, a forma de se conduzir mediante aos apegos materiais podem gerar um contrato tácito da mesma forma que o contrato expresso. Esta freqüência umbralina é a origem da maioria das enfermidades sem causa aparente e sem cura como, por exemplo, a Aids. Da mesma forma problemas constante de ordem  financeira e afetiva  na maioria dos casos se originam de pactos firmados e da freqüências com a espiritualidade inferior.   Os verdugos têm acesso à vítima no estado de sonho ou, pela obsessão programada, nos planos internos e podem ser as causas principais de interferência espiritual na vida nos níveis físico e psíquico. Esses pactos podem ter origem na vida atual ou em vidas pregressas, ou mesmo serem formados no período de erraticidade do Espírito (entre uma encarnação e outra), através de associações com certos indivíduos ou grupos que influenciam nas relações presentes e as afetam de forma negativa. Assim, o sofrimento de hoje pode ser um eco do passado. Os acordos ou contratos, nos vínculos com os núcleos de magia negra, ainda que eventuais (sem habitualidade), por vezes, são garantidos através de implantes genéticos ou eletrônicos. Esta é a razão principal de que alguns esforços de liberação sejam pouco profícuos, ou mesmo não tenham êxito. É necessário ter participação consciente no processo de liberação e o especial merecimento da vítima para justificar a quebra do contrato.  Aquele que chama em seu auxílio os Espíritos, para deles obter os dons da fortuna ou qualquer outro favor, rebela-se contra a Providência, renuncia à missão que recebeu e às provas que deve enfrentar na encarnação para que haja real evolução espiritual onde o grande e maior desafio é manter a consciência na luz em meios aos apegos materiais. Isso não quer dizer que sua alma esteja para sempre condenada ao sofrimento "Por seu amor aos gozos materiais coloca-se na dependência dos Espíritos impuros: estabelece-se entre eles um pacto tácito, que o conduz ao afastamento do caminho crístico, mas que sempre lhe será fácil romper com a assistência dos bons Espíritos, desde que o queira com firmeza". Os pactos, portanto, são formas de limitação espiritual. Eles podem se originar de votos (pobreza, castidade, obediência, fé, fidelidade, etc.) e/ou contratos de empreitadas com irmandades espirituais negativas, alianças profanas ou associações, que, por vezes transcendem mais de uma encarnação. Estes votos e acordos afetarão a vítima até que sejam renunciados (ainda que em outra encarnação), porque possibilitam as reclamações de "direitos e deveres" por parte de seres destas organizações.

Texto extraído do Curso de Reiki Apométrico nível II
 

 EU SOU Maiana Lena


Nenhum comentário:

Postar um comentário