Uma alma que se eleva em consciência, eleva o mundo.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Quatro Elementos do Verdadeiro Amor

Podemos praticar para aumentar a nossa bondade (Maitri), compaixão (karuna), alegria (mudita) e inclusão (upeksha). Estes são os quatro elementos do amor verdadeiro que podem ajudar a nossa própria felicidade e a felicidade dos outros para crescer.

Maitri, bondade amorosa, é o primeiro elemento do amor verdadeiro. Maitri tem a mesma raiz sânscrita de mitra, que significa amigo. Amor, em sua base, é amizade profunda. A amizade precisa trazer a felicidade. Caso contrário, qual é a utilidade de ter uma amizade? Ser amigo significa oferecer felicidade. Então, se o amor não for a criação de mais felicidade, se ele está fazendo você chorar o tempo todo, isso não é maitri; é o oposto.

Você também precisa se tratar com bondade amorosa e aprender a amar a si mesmo. O amor-próprio é a base para amar outra pessoa. Se você não é capaz de amar a si mesmo e oferecer a si mesmo a felicidade, como você pode amar e oferecer felicidade a outra pessoa? Quando você pode viver de uma forma que lhe traga alegria e felicidade, então você vai ser capaz de oferecer alegria e felicidade para os outros.

Karuna, compaixão, é o segundo elemento do amor verdadeiro. Mas a palavra "compaixão" não reflete perfeitamente karuna. O prefixo "com" significa juntos e "paixão" significa sofrer. Portanto, para ser compassivo, literalmente, significa sofrer junto com a outra pessoa. Mas praticar karuna não significa que você tenha que sofrer.

Karuna é a capacidade de aliviar o sofrimento, mesmo que seja o sofrimento em si mesmo ou em outra pessoa. Você tem essa capacidade. Quando você ama alguém e os vê sofrendo, fica motivado a tentar aliviar esse sofrimento. Mas se você não sabe como lidar com o sofrimento em si mesmo, não será capaz de ajudar a outra pessoa lidar com o seu sofrimento. Sempre que você tem uma sensação dolorosa, a atenção plena de compaixão (mantendo sua compaixão viva) pode ajudá-lo a aprender a estar presente para esse sentimento, sem combatê-lo. Depois, você pode abraçar e aceitá-lo.

Se você continuar a praticar a respiração consciente, e ternamente segurar sua dor e tristeza, vai ser capaz de olhar profundamente para o seu sofrimento e começar a entender sua natureza e causas. Com esse entendimento, você pode obter algum alívio e, finalmente, pode libertar-se de sua dor e tristeza. Compaixão nasce da compreensão. Quando você sentir compaixão por si mesmo, vai ser capaz de compreender e sentir compaixão pelos outros e ajudá-los a aliviar o seu sofrimento.

Suponha que você é um médico. Um médico deve ter compaixão, eu espero! Se você fosse um médico e um paciente viesse para você cheio de medo e queixando-se de dor, mesmo se for um bom médico, você não tem que sofrer com o seu paciente, a fim de ser gentil e ajudá-lo. Para praticar o amor verdadeiro, você não tem que sofrer com sua amada. Em vez disso, você ajuda a si mesmo e a outra pessoa a sofrer menos.

Mudita, alegria, é o terceiro elemento do amor verdadeiro. Consciência alerta significa que você tem acesso a sentimentos de alegria e felicidade a qualquer momento. Você não precisa de dinheiro. Você não precisa ir para o centro comercial. Se você conhece a arte da liberação, a arte da atenção plena, a arte da concentração, a arte da visão, então você pode trazer um sentimento de alegria e felicidade a qualquer momento. Existem maneiras que você pode trazer alegria para si mesmo. Se você sabe como trazer alegria para si mesmo, então você vai saber como trazer alegria para os outros. Se você está realmente alegre e sua alegria tem raízes saudáveis, então ela  beneficia outras pessoas.

Apesar de não ter feito nada, só porque você está habitado por alegria, ganhamos a felicidade de estar perto de você. Apenas deixar ir pode trazer alegria e felicidade. Há apegos e idéias que podemos liberar. Podemos deixar ir histórias do passado, que continuamos a repetir a nós mesmos, e velhas formas habituais de pensar. Soltar, deixar ir, pode parecer simples, mas é uma arte. Sentando e respirando, podemos nos concentrar em liberar nossas histórias, para que possamos cultivar a nossa própria felicidade. Quando praticamos corretamente, experimentar a alegria de imediato.

O quarto elemento do verdadeiro amor é upeksha, inclusão. Upeksha é frequentemente traduzido como equanimidade, mas eu prefiro pensar nisso como inclusão. No amor verdadeiro, você não exclui ninguém. Esta é a base do amor verdadeiro. No verdadeiro amor não há mais qualquer tipo de discriminação. Felicidade não é uma questão individual. O sofrimento, também, não é mais uma questão individual. Você e a outra pessoa são a mesma pessoa. O sofrimento dela é o seu próprio sofrimento; a felicidade dela é a sua própria felicidade; a alegria dela é a sua alegria. Não há mais qualquer barreira, qualquer fronteira, entre o que ama e aquele que é amado. Nesse sentido não há mais qualquer eu separado.

Se você for capturado por seu apego ao seu amado e o cortou de todas as outras pessoas e espécies, então isso não é amor verdadeiro. Se o seu amor é amor verdadeiro, irá beneficiar a todos, não apenas os seres humanos, mas também animais, plantas e minerais. Amar uma pessoa é uma oportunidade para você amar a todos e todas as espécies. Se você estiver indo em uma boa direção com o seu amor, ele vai se tornar mais inclusivo o tempo todo. O verdadeiro amor é gerado a partir de dentro. Com o verdadeiro amor que você sente completo em si mesmo; você não precisa de algo de fora para fazer você se sentir inteiro. O verdadeiro amor é como o sol brilhando. O sol é suficiente em si mesmo. Oferece luz para todos. Ele não diz: "Eu só quero oferecer luz para essa pessoa." Ele não exclui ninguém.

(Do livro “The mindfulness survival kit”– Thich Nhat Hanh)
(Traduzido por Leonardo Dobbin)
Comente esse texto em http://sangavirtual.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário